10 formas de fazer marketing jurídico de forma eficiente

marketing jurídico, 10 formas de fazer marketing jurídico de forma eficiente

A cada ano, se forma um grande número de advogados. Dessa forma, esses novos profissionais trazem mais competitividade à área. Então, para se destacar, não basta ser um bom profissional, mas também saber fazer marketing jurídico.

Dessa forma, você consegue ter um posicionamento e destaque no seu meio de trabalho. Assim, podemos definir o marketing jurídico como uma estratégia que mostra ao mundo o que você é capaz de fazer – e, assim, ajuda a atrair clientes.

Ou seja, é um grande diferencial na hora da captação dos seus clientes. Com ele, você mostra seu valor. Porém, você sabe como fazer marketing jurídico de forma eficiente? Leia para aprender 10 dicas incríveis!

1.      Defina o seu público-alvo

A primeira etapa de como fazer marketing jurídico de uma forma que dê resultado é definir qual é o seu público-alvo. Afinal, é a ele que você vai destinar suas estratégias, porque é ele quem você deseja atrair.

Hoje em dia, aliás, existem alguns conceitos básicos no marketing, sendo que dois deles em especial são muito importantes. Veja:

  • Público-alvo: termo amplo, que se refere a um grupo de pessoas que se enquadra nas suas estratégias de marketing;
  • Persona: é um personagem fictício, como se fosse o seu cliente ideal.

Então, para que dê resultado, você precisa delinear o seu público-alvo e, de preferência, também a persona. Mas, você sabe por que isso?

De forma geral, desenhar estes conceitos permitem que você se comunique da forma ideal com quem precisa dos seus serviços. Dessa forma, você toca no ponto certo: no que incomoda o seu cliente, nas necessidades que ele tem, etc.

2.      Faça marketing jurídico offline

Outro ponto importante é saber onde fazer o seu marketing jurídico. Atualmente, em função dos avanços tecnológicos, existem diversos meios e várias formas de fazer isso.

Uma delas, que é o método mais tradicional, é o marketing offline. Você certamente já deve ter visto bastante. É a tradicional entrega de cartões, a participação em eventos sociais, os congressos, a publicação de artigos em revistas conceituadas, etc.

Leia mais:  Maturidade Digital na Advocacia: desenvolva novas habilidades

Ou seja, é algo que se faz há muito tempo. Porém, engana-se quem pensa que isso foi deixado para trás. Pelo contrário, aliás. Ainda hoje em dia o marketing jurídico offline é muito importante, e você não pode descartar ele.

3.      Aposte também no marketing jurídico digital

marketing jurídico, 10 formas de fazer marketing jurídico de forma eficiente

Bom, se falei que o marketing jurídico offline é importante, significa que só ele é importante? Na verdade, não. Até mesmo por conta das evoluções tecnológicas que mencionei antes, você precisa diversificar.

Pense, por exemplo, na infinidade de acessos que há na internet diariamente. Por isso, marcar presença nas redes sociais (Facebook, Instagram, LinkedIn, etc) é importante, bem como ter um blog especializado, por exemplo.

Assim, o marketing jurídico digital cresce a cada dia, e hoje já supera o marketing offline na área. Por isso, todos os grandes escritórios já o utilizam. Ou seja, é fundamental estar presente para evitar perda de competitividade.

4.      Tenha um planejamento definido

Muita gente faz pouco caso do marketing jurídico, acha que é bobagem. Então, mesmo quando decide investir, faz de qualquer jeito. Aí, não tem retorno, e depois culpa o marketing em vez de refletir sobre seus erros.

Pois saiba que é vital ter um planejamento adequado quando você entra nesse meio. Por isso, para se adaptar melhor, tenha uma agenda que considere questões como essas abaixo:

  • Qual a frequência de postagem nas redes sociais?
  • Quem vai cuidar do conteúdo da publicação?
  • Qual será a arte utilizada?
  • Como se inserir melhor em cada rede social?
  • Vou criar um blog ou não?
  • Qual a frequência de postagem nos blogs?

Em suma, essas são algumas perguntas simples, às quais você pode adicionar muitas outras. Assim, o importante é ter um planejamento, mesmo que básico, do que você pretende fazer e como pretende.

Leia mais:  Saiba o que é a metodologia 5S e como usar no seu escritório

5.      Analise os concorrentes

Como já falei antes, lá na introdução, e como você deve saber bem, há muitos advogados e escritórios de advocacia espalhados pelo Brasil. Se isso significa uma maior concorrência, também significa que você pode tirar lições valiosas.

Por exemplo, o que os seus concorrentes fazem ou fizeram que você pode fazer também? Qual caminho eles estão seguindo? Eles estão tendo resultados satisfatórios? E, mais, quais erros eles cometeram que você pode evitar?

Ou seja, como você pode evitar os problemas que eles tiveram e tirar o melhor do que deu certo? Por isso, analise cada passo que eles deram e tenha em mente quais foram os resultados, para avaliar os seus próprios.

6.      Entenda o básico de SEO

marketing jurídico, 10 formas de fazer marketing jurídico de forma eficiente

Quando falamos de marketing jurídico digital, você deve saber como se destacar. Por isso, é relevante entender, mesmo que por cima, como funciona o mecanismo de busca do Google.

Então, saiba que ele funciona a partir de palavras-chave, presentes nos seus conteúdos. Dessa forma, é importante saber quais são as palavras-chave mais relacionadas ao seu público-alvo ou à sua persona.

Portanto, quando você tem essa informação, é hora de colocá-la em prática. Assim, crie suas mensagens relacionadas a esses conteúdos. Desse modo, sua página deverá obter um destaque maior.

7.      Aprenda a elaborar as mensagens certas

O Novo Código de Ética da OAB se opõe a medidas de propaganda, de uma forma geral. Por isso, você deve evitar. Então, em vez disso, crie conteúdos que tragam informação aos seus clientes e ao seu público em geral.

Dessa forma, você vai passar uma mensagem de autoridade. Assim, seus clientes em potencial vão ver que você entende do tema. Consequentemente, vão confiar em você, e há mais chances de contratarem o seu serviço.

Leia mais:  Qual é a importância da tecnologia no setor jurídico?

8.      Diversifique na forma do marketing jurídico

Que tal criar conteúdos interessantes, que divirtam o público ao mesmo tempo que informam? O marketing jurídico permite isso e você pode aproveitar várias formas de fazê-lo. Então, veja algumas ideias:

  • Crie vídeos, explicando didaticamente alguns casos famosos, por exemplo;
  • Faça postagens com perguntas e respostas, para saber e estimular o seu público a comentar e interagir com você;
  • Invista em artes legais, que chamem a atenção;
  • Publique postagens temáticas com dicas, como “dicas sobre guarda compartilhada”, “o que você precisa saber sobre inventário”, “conheça o princípio da isonomia”, etc.

9.      Tenha um orçamento predefinido

Lembra que antes falei que o marketing jurídico precisa de um bom planejamento? Pois bem, não existe planejamento eficaz sem um orçamento predeterminado.

Dessa forma, uma vez que você souber o que quer fazer, como e quando, deve decidir também o quanto quer (e pode) investir. Isso evita que você comece a colocar dinheiro de forma irresponsável. Além disso, melhora o seu retorno.

10. Utilize métricas para avaliar os resultados do seu marketing jurídico

Por fim, saiba que existem métricas que permitem avaliar os resultados que você está tendo. Dessa forma, você pode entender o que está conseguindo a partir do seu marketing jurídico.

Ou seja, o seu público-alvo está definido corretamente? As publicações estão tendo os retornos que você esperava? O orçamento determinado está bom ou pode ser alterado?

Assim, são muitas questões que você pode levar em consideração e pensar. No fim, serve fundamentalmente para melhorar as suas práticas ao longo do tempo. Portanto, torna seus resultados cada vez mais eficientes.

Em suma, o marketing jurídico é importante para crescer. Só que ele não é tudo, não é mesmo? Por isso, clique aqui para conhecer o GOJUR, nosso software para gestão jurídica!

Compartilhe este conteúdo

Deixe um comentário