Confira como montar um plano de negócio para escritório de advocacia

plano de negócio para escritório de advocacia, Confira como montar um plano de negócio para escritório de advocacia

Um plano de negócio para escritório de advocacia é um documento fundamental para o sucesso do escritório. Assim, através dele, a empresa pode ter uma maior segurança, além de entender com precisão o segmento e os recursos necessários.

Saiba, porém, que o plano de negócios tem alguns passos necessários para ser feito corretamente. Você sabe quais eles são? Quer garantir que o seu escritório vai ter bons resultados? Então siga lendo!

O que é um plano de negócio para escritório de advocacia?

Hoje em dia, advogado é o que não falta no Brasil, não é verdade? Por isso, a competitividade no setor é enorme, o que traz alguns desafios para quem atua na área. Pense, por exemplo, em todos os escritórios que mal abrem e já fecham.

Você sabe por que isso acontece? Via de regra, é porque não há uma organização e um planejamento bem feito. Assim, nem sempre a questão está ligada à qualidade dos serviços prestados, mas sim à administração do negócio.

Ou seja, falamos aqui do plano de negócio para escritório de advocacia. Dessa forma, em linhas gerais, este é um documento em que você vai reunir os objetivos do seu escritório. Além disso, nele deve constar tudo que você pretende fazer para alcançar estes objetivos.

Dessa forma, é importante preencher o plano de negócio com objetivos viáveis. Afinal, não adianta colocar algo que você sabe que não vai atingir, pois não vai dar certo.

Por isso, preparamos esta publicação especial, em que você vai encontrar tudo que precisa para montar seu plano de negócio para escritório de advocacia. Você vai descobrir tudo que precisa inserir no seu.

Por que montar planos de negócios?

plano de negócio para escritório de advocacia, Confira como montar um plano de negócio para escritório de advocacia

De forma geral, montar o seu plano de negócio para escritório de advocacia diminui o risco e a incerteza de abrir a sua empresa. Portanto, isto é algo que busca garantir que o seu negócio terá mais competitividade no mercado.

Leia mais:  8 recursos que não podem faltar em um software para advogados

Então, para que isso aconteça, você deve fazer muitas pesquisas. Assim, essa é a base para definir quais investimentos serão feitos e quais estratégias serão adotadas ao longo do tempo.

Por exemplo, quais cargos precisam ser preenchidos no escritório? Você sabe qual é o seu público-alvo? Além disso, como vão os seus concorrentes e o que fazem?

Ou seja, elementos como a pesquisa de mercado são cruciais. Somente etapas como estas permitem alcançar o objetivo de trazer mais segurança ao seu escritório e garantir que ele tenha bons resultados na atuação com os clientes.

Além disso, outros benefícios do plano de negócio para escritório de advocacia são os seguintes:

  • Permite compreender quais investimentos serão necessários;
  • Ajuda a alcançar credibilidade no mercado;
  • Possibilita uma maior compreensão a respeito dos seus clientes em potencial;
  • Auxilia na orientação da equipe em relação aos objetivos do escritório;
  • Identifica pontos de melhora no seu projeto inicial;
  • Permite compreender se a sua ideia de escritório é viável ou não.

Perceba, desse modo, que os benefícios elencados acima estão diretamente relacionados com o que viemos mencionando ao longo do texto. Ou seja, ajudam a oferecer uma maior segurança ao escritório, bem como diminuem a incerteza do investimento.

Como montar um plano de negócio para escritório de advocacia

plano de negócio para escritório de advocacia, Confira como montar um plano de negócio para escritório de advocacia

Pois bem, agora que você já sabe o que é um plano de negócio para escritório de advocacia e quais são as suas vantagens, é hora de ir para uma parte mais prática. Agora, então, vamos orientá-lo a alguns passos básicos de como montar o seu.

Perceba, dessa forma, que é importante documentar cada etapa neste plano de negócios. Dessa forma, você diminui a chance de erro e pode reavaliar cada etapa frequentemente.

1.      Faça um sumário executivo

Em primeiro lugar, vamos começar com um sumário executivo. Então, este é um documento que serve como uma espécie de resumo de todo o resto do seu plano de negócios do escritório.

Leia mais:  Quando um contrato tem validade jurídica?

Dessa forma, embora seja uma etapa inicial, ele deve ser preenchido ao longo de todo o processo. Assim, ao passo que você for avançando no plano de negócio, o sumário executivo vai ter mais informações.

Entre as informações essenciais, algumas delas são as seguintes:

  • Missão e valores da empresa;
  • Diferenciais em relação aos concorrentes;
  • Segmento de atuação;
  • Investimento inicial;
  • Localização;
  • Forma jurídica e questões tributárias.

2.      Defina a atuação do escritório

Começando na parte mais prática do plano de negócio para escritório de advocacia, a atuação do negócio pode ser definida já na sua missão. Assim, você e seus sócios poderão definir se o escritório será generalista, tributário, empresarial, penal, etc.

Como vou mostrar abaixo, isso ajuda até mesmo a definir o seu público-alvo. Então, decida a atuação com cautela.

3.      Identifique seu público-alvo

Outro elemento importante do plano de negócio é a análise do seu público-alvo. Para isso, veja, em primeiro lugar, qual é a área do Direito em que sua empresa atua, como falei acima.

Isto porque para algumas, já há uma linha específica de clientes. Porém, para outras, isto é mais amplo, e tanto permite um foco maior em um público-alvo ou outro quanto permite uma abordagem mais ampla.

Dessa forma, essa decisão deverá ser tomada enquanto você e sua equipe elaboram o documento. Note, portanto, que é uma decisão que vai influenciar em todos os outros aspectos do seu plano de negócios.

4.      Avalie o mercado

A análise de mercado é outro ponto importante de um plano de negócio para escritório de advocacia. Ou seja, a ideia aqui é, basicamente, avaliar se realmente há espaço no mercado para a entrada do seu escritório.

Leia mais:  Soluções de marketing e CRM: quando são importantes?

Desta maneira, uma vez que você já tiver analisado seu público-alvo de cliente potencial, tudo fica mais fácil. Primeiramente, existem pessoas com este perfil na região em que você deseja atuar?

Além disso, é o momento de começar a avaliar a concorrência também. Então, há muita concorrência na região? Ademais, esta concorrência está tendo êxito em captar todos ou a maior parte dos clientes em potencial?

Perceba que estas são informações cruciais para a definição tanto da viabilidade do seu projeto quanto dos próximos passos. Isto é, influencia diretamente em quais serão as próximas estratégias que você deverá adotar.

5.      Identifique como captar recursos

As ideias podem ser muito bonitas, mas precisam sair do papel. E, para que saiam do papel, é necessário o investimento de recursos, concorda? Mas, então, você sabe quanto será necessário e de onde captar este dinheiro?

Dessa forma, saiba que ter o montante ideal para pelo menos a montagem do escritório e os primeiros meses de funcionamento é essencial. Assim, isso vai dar à sua equipe maior segurança, e garante que o escritório não vá fechar tão rápido quanto foi criado.

Por isso, leve em conta elementos importantes, como os custos fixos, o capital de giro e o investimento necessário para antes de iniciar a operação. Além disso, é essencial tomar cuidado em cada decisão, avaliando sua real necessidade.

Uma vez que você tiver um bom planejamento financeiro, vai poder analisar também quando deverá ter retorno. Assim, também, terá uma ideia mais precisa da lucratividade e da rentabilidade possível, além de quanto é necessário receber em cada mês para fechar o balanço positivo.

Para finalizar, saiba que existem softwares jurídicos que também ajudam a melhorar a gestão do seu negócio. Então, clique aqui para conhecer o GOJUR e fazer seu teste grátis!

Compartilhe este conteúdo

Deixe um comentário