Migração de software: melhor software jurídico

migração de software, Migração de software: melhor software jurídico

Muitos escritórios optam, em algum momento, pela migração de software. Isto pode acontecer por várias razões, como a necessidade por um que comporte mais dados, por novas funcionalidades ou simplesmente por encontrar um software que seja melhor.

Independentemente das razões, algumas questões referentes a esta migração de software costumam ser comuns. Por exemplo, o que de fato ela significa? Por que as empresas costumam fazê-la? É possível transferir todos os dados?

Por isso, preparamos esta publicação especial com a finalidade de tirar as suas dúvidas. Aqui, você vai aprender tudo que é mais importante sobre a migração de software jurídico. Acompanhe para saber mais!

O que é a migração de software

De acordo com uma empresa especializada no setor de tecnologia da informação (TI), a migração de software, ou migração de dados, corresponde a aproximadamente 60% de todo projeto de TI de todas as grandes empresas.

Ou seja, de fato este é um processo importante. Para isso, então, existe toda uma metodologia a ser seguida, de modo que a migração seja feita da melhor forma possível, evitando qualquer problema para a organização do seu escritório.

Por isso, sempre são consideradas questões como a qualidade dos dados, a diversidade e o volume deles. Além disso, é claro, é importante entender como funcionam os softwares relacionados a estes dados.

Em resumo, a migração de software ocorre quando há uma necessidade de mover de um sistema para outro, levando também os dados entre eles. Dessa forma, isso visa atender a diversas motivações, como:

  • Acomodar um aumento no número de dados;
  • Dar mais alternativas de escalabilidade;
  • Atualizar para um sistema mais moderno;
  • Migrar para um software que tenha mais funcionalidades;
  • Aumentar a competitividade do escritório;
  • Transferir dados para a nuvem e reduzir os gastos de TI.

Para isso, aliás, existem cinco grandes tipos de migração de software e de dados. A primeira delas, é a migração de bancos de dados. A segunda, é a migração de aplicativos, mudando de plataforma ou de fornecedor.

Leia mais:  As redes sociais no marketing do seu escritório de advocacia

Em seguida, temos a migração de armazenamento, como quando se muda de disco rígido para nuvem. A quarta maneira é a migração de sistema, quando se começa a utilizar uma nova infraestrutura de hardware. E, por fim, a migração da nuvem, que ocorre normalmente para dar escalabilidade e reduzir custos.

A migração de software jurídico faz perder dados?

migração de software, Migração de software: melhor software jurídico

A migração de software pode ser motivada por uma série de razões. Por isso, em função de uma ou mais delas, talvez no seu escritório você tenha chegado à conclusão que é hora de passar por esse processo.

Se foi esse caso, uma dúvida muito comum é relacionada aos dados. Afinal, migrar de software significa que você vai perder todos os dados que possui armazenados?

Na verdade, a resposta depende de acordo com alguns fatores, principalmente relacionado ao software para o qual você está migrando. Assim, para que você não perca nada, é importante que o seu novo sistema tenha um acompanhamento para evitar problemas.

Por isso, via de regra, um técnico realiza o processo e acompanha durante o período, resolvendo qualquer situação que ocorrer e tirando as suas dúvidas. Assim, há uma maior garantia de que a migração de dados de um software para o outro ocorrerão com sucesso.

No entanto, é importante salientar que, em alguns casos, nem todos os dados podem ser migrados. Isto depende do sistema que você tem atualmente e do que você deseja transferir estes dados.

Isto significa, em outras palavras, que algumas seções de dados podem ser migradas, enquanto outras não. Estes fatores estão relacionados a aspectos técnicos da arquitetura dos softwares, às funcionalidades de cada um e como funcionam. Afinal, sempre há diferenças.

Leia mais:  Honorários advocatícios: tudo que você precisa saber

Por isso, inclusive, é até mesmo comum que alguns desses dados migrados podem sair de um sistema com uma nomenclatura e chegar no outro com outra. Isto acontece porque cada um tem uma categorização distinta, mesmo que falando sobre o mesmo tema.

Portanto, o mais indicado é que você tire um tempo para a adaptação. Então, prepare-se para se acostumar às novas nomenclaturas, à interface e às funcionalidades do novo sistema de forma geral.

É melhor migrar ou recomeçar com novos dados?

Outra questão relacionada à migração de software que é relativamente comum é se você deve migrar os dados ou então recomeçar do zero no novo software, sem nenhum dado. Na verdade, é difícil dar uma resposta geral para isso.

Perceba que, como já falei antes, seu escritório normalmente tem a opção de realizar a migração se não de todos os dados, de quase todos. Por isso, esta decisão acaba sendo muito mais algo relacionado ao que a sua equipe planeja do que propriamente ao sistema.

Sendo assim, pense, antes de mais nada, nas motivações que estão levando o seu escritório a realizar a migração de software. Em alguns casos, se é para conseguir aumentar a escalabilidade de dados, alguns optam por não transferir os dados e recomeçar.

Por outro lado, pode ser que você acabe perdendo informações importantes, de modo que se faz necessário migrar. Ou seja, é uma decisão muito particular de cada pessoa e de cada negócio, passando diretamente pelo que é planejado na gestão do escritório.

Desse modo, antes de mais nada, pense bem a respeito das razões que estão levando à troca de sistemas. Avalie se existem dados que realmente precisam da transferência, se eles são descartáveis ou se podem ser armazenados em outro local.

Por isso, baseie a tomada de decisão em algo concreto. Não faça isso apenas tomado pelo impulso. Lembre-se de que a decisão de transferir dados ou não é sua e que os sistemas, via de regra, comportam essa possibilidade.

Leia mais:  Princípio da isonomia: por que é tão importante no Direito?

Conheça o GOJUR – software jurídico

migração de software, Migração de software: melhor software jurídico

Quando falamos em tecnologia para o setor jurídico, é impossível não falar do uso dos softwares. Se você está buscando a migração, é porque já utiliza um e já conhece boa parte dos benefícios que eles podem trazer.

Neste sentido, um dos melhores sistemas jurídicos do mercado é o GOJUR. Ele oferece uma série de possibilidades para melhorar a gestão do seu escritório, oferecendo uma ótima opção para quem procura migrar de software.

Veja algumas das funcionalidades:

  • Gerenciamento de processos: permite o acesso fácil e digitalizado das informações dos clientes, acessível a qualquer lugar e com várias opções de filtros e relatórios.
  • Captura de tribunais e publicações: com robôs, há o acompanhamento dos processos nos sites dos tribunais e das publicações nos diários de justiça.
  • Agenda jurídica: a funcionalidade da agenda jurídica corporativa possui recursos avançados para controle de prazos de processos e publicações.
  • Financeiro: há possibilidade de controle financeiro com emissão personalizada de faturas, controle de pagamentos, gerenciamento do fluxo de caixa entre outros.
  • Facilidade aos clientes: seus clientes também ganham um acesso para acompanhar os processos, juntamente com relatório de apoio.
  • Suporte: temos suporte sempre à disposição para tirar dúvidas e resolver quaisquer questões relacionadas ao software.

Dessa forma, se você está buscando como escolher um software jurídico, saiba que o GOJUR pode atender as suas necessidades e às do seu escritório. Ele é um sistema completo, seguro e que tem muito a oferecer.

Quer saber mais sobre como funciona a migração de dados do seu software atual para o GOJUR? Então clique aqui e venha conversar conosco agora mesmo!

Compartilhe este conteúdo

Deixe um comentário